sábado, 20 de novembro de 2010

Bolsista do ProUni é xingada por colega da PUC

Por Mariana Lenharo, estadao.com.br, Atualizado: 20/11/2010 0:39



No começo do mês, Meire Rose Morais, de 46 anos, aluna de Direito da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC), recebeu uma série de e-mails de uma colega com ofensas que tinham como alvo dos seus pés ao creme que usa no cabelo, passando por sua religião. Meire, que é negra e bolsista do ProUni, conta que desde que entrou na universidade, em 2005, sofre com o preconceito de alunos e professores. 'Os outros não manifestam que são bolsistas para não sofrer preconceito', diz.
Segundo ela, os alunos do ProUni acabam segregados. 'Ninguém quer compartilhar ou fazer grupo com os bolsistas. Os professores tratam isso como uma mera questão de afinidade, mas é mais que isso.'
A discussão por e-mail começou quando Meire enviou para o e-group de sua sala uma mensagem sobre a presidente eleita Dilma Rousseff, que ela apoia. Alguns alunos se irritaram com a posição política e uma das alunas enviou 33 e-mails agressivos para a bolsista. Após o caso se tornar público na PUC, alunos e professores criaram um movimento contra a intolerância, que culminou com uma moção de repúdio contra os e-mails.

COMENTÁRIOS:

Não sei porque ainda me assusto com algumas reportagens que leio!
A reportagem acima deixa bem claro a inexperiência e a falta de capacitação e controle do sistema chamado  governo!
O erro do PROUNI,já vem desde a criação do ENEM,que não prepara como deveria seus alunos!
Ou o erro inicial seria desde o maternal,fundamental ou ensino médio?Onde a intolerância fala mais alto do que a educação propriamente dita?!
A reportagem deixa bem claro o quanto as pessoas costumam ser idiotas,isso mesmo,idiotas em se acharem no direito de agredir alguém seja físico ou psicologicamente,simplesmente por terem um nível social mais alto!
Costumam,essas pessoas que agem com tanto preconceito serem muito mais inferiores em se tratando de cultura e conhecimento do que aquela da qual eles julgam inferior!
Tenha dó viu,e ainda dizem que vivemos num mundo globalizado!
O mundo se globalizou sim em matéria de avanço de tecnologia,da medicina,e de outros fatores.Porém,no quesito educação,parece que o mundo está retrocendo-se, andando como caranguejo!Se continuar assim,acabaremos voltando ao tempo da idade média!
Cátia Rodrigues

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Nem só de reclamações e críticas vive o Blog de uma gestora ambiental!!!

Bom dia amigos leitores!

Para provar que nem só de críticas e reclamações vive o Blog de uma gestora ambiental,venho aqui divulgar a Segunda Etapa do Programa de Desenvolvimento Profissional da Samarco.

Hoje iniciam-se as inscrições para o processo seletivo do curso de qualificação na área de Construção Civil e estenderão-se até o dia 27/11/2010.

Se você está interessado em se qualificar para as oportunidades com projeto da Quarta Pelotização da Samarco,não perca tempo.

Abaixo estão algumas informações sobre os locais e como fazer para se inscrever, e no caso de qualquer dúvida acesse o site da empresa e obtenha maiores informações: http://www.samarco.com .


                    Inscrições (Horário: 8h às 20h)
 
Produção
ComunidadeLocal
MarianaColégio Providência - Sala de Vídeo - Rua Dom Silvério, 233
Ouro PretoIFMG, sala 120 no Pavilhão Central, antigo CEFET.
Catas AltasCasarão Dr. Moreira
Santa BárbaraAntiga E.E. Dom Bosco - Rua Francisco Arcanjo de Souza Melo, Centro, ao lado da Rodoviária.
Brumal
(Inscrições: 18 a 20/11)
Salão Comunitário - Praça Santo Amaro
Antonio PereiraSalão Comunitário - Arte, Mãos e Flores

Mais informações:
0800 031 2303 




OBS.: Os requisitos necessários para se inscrever são: Ter no mínimo 16 anos e ser residente em alguns dos municípios citados acima.


Fonte: site da Samarco

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Mais um capítulo de uma novela chamada ENEM!

Haddad defende mais de uma edição do ENEM por ano:

(Agência Estado)


O ministro da Educação, Fernando Haddad, defendeu hoje a realização de mais de uma edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) por ano. Segundo ele, o processo permitiria a aplicação da prova com mais tranquilidade e menos atropelos. "Penso que teríamos menos atropelos, mais tranquilidade, mais parceiros, mais empresas interessadas em colaborar com o setor público", afirmou o ministro, durante audiência da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado.
Na avaliação de Haddad, a realização de mais edições anuais do Enem reduziria os problemas verificados no exame. "A saída adequada e já planejada é que se realizem mais edições do Enem por ano. Isso vai mitigar, se não a totalidade, a quase totalidade dos problemas que o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) enfrenta com falhas, às vezes humanas, às vezes ocorrências que não estão sob a sua governabilidade", disse. "É possível e desejável que haja mais de uma edição ao ano do Enem."
Outro ponto positivo, segundo Haddad, é a possibilidade de o estudante se inscrever mais de uma vez e escolher de qual edição vai participar. "Se ele (estudante) se absteve (de alguma edição), tem no horizonte uma nova oportunidade", afirmou.
Fonte: http://www.g1.globo.com

Comentário:
Depois do vazamento do gabarito das provas do ENEM DE 2009,este ano mais uma confusão se instalou na aplicação do ENEM 2010,o erro gráfico das provas amarelas deste ano trouxeram dor de cabeça e desânimo para muitos alunos que se prepararam desde  o início do ano para fazerem a prova e através dela conseguirem uma bolsa nas universidades do país.
Como todo e qualquer processo de seleção,o ENEM tem suas falhas,existe sim uma grande preocupação em detectar suas falhas e fazer deste um dos processos exemplares de inclusão no ensino superior de milhares de estudantes brasileiros.
É  a velha questão de que a intenção é boa,porém,falta preparação de seus organizadores e colaboradores.
E mais uma vez o ENEM se torna uma verdadeira novela com mais um novo capítulo,correndo o risco de se estender aos próximos anos,só resta aos atuais e futuros candidatos torcerem para que as próximas falhas possam ser menores diante aos últimos acontecimentos.
Lembro-me que a última vez que concorri ao ENEM em 2007,quando ainda estava no início do meu curso na faculdade,passei por uma situação na qual me desmotivou a continuar os demais processos de seleção dos anos decorrentes.E de uma forma lamentável,pude constatar a falta de preparação e a inexperiência de seus colaboradores.
Falta orientação de todos os lados,tanto dos organizadores do ENEM quanto das faculdades,que nos deixam a mercê de nossas dúvidas,sem o mínimo de preocupação    se o aluno tem ou não todas as informações necessárias para se inscrever neste processo de seleção,levando-se em conta o antes,o durante e o depois.
Quando me inscrevi,eu havia acabado de iniciar meu curso numa faculdade particular próximo a minha cidade,(uma vez que,onde moro ainda não tem faculdade,acreditem).Pois é,fiz o ENEM de 2007 na intenção de conseguir uma bolsa e poder aliviar o peso financeiro das costas do meu marido,uma vez que eu não "trabalhava".
Fiz a prova,tive um ótimo resultado,do qual me rendeu uma bolsa no curso de pedagogia,mas como felicidade de pobre dura pouco,não formou turma para a mesma,anulando simplesmente a bolsa da qual me havia sido concedida.
Para minha surpresa,consegui uma segunda bolsa no curso de turismo a distância numa faculdade renomada do país.Até aí tudo bem,após receber a informação pela faculdade de que eu havia sido contemplada com a bolsa,pensei em trancar meu curso que estava fazendo e arriscar um novo curso,porém gratuito.Isso pra mim,naquele momento,seria um passo para minha carreira profissional,já que o dinheiro que estava sendo investido nas mensalidades e passagem para a faculdade,poderia ser aplicado em outros cursos de qualificação profissional,como um curso de inglês por exemplo.
Porém,depois de toda papelada enviada,lembro-me que gastei uma fortuna com documentação autenticada,documento disso,documento daquilo,nossa,burocracia a perder de vista,e mesmo assim,no final,no ato da matrícula,fui informada de que não poderia ter direito a bolsa,até então a mim já concedida,devido ao fato de já estar cursando em faculdade particular.
Mas como assim?Não poderia ter direito a algo que já havia sido concedido a mim por direito?
É isso mesmo,mais uma vez,fiquei no quase,rsrsrs...."seria cômico se não fosse trágico!"
Várias perguntas me surgiram,e olha que a maioria ficou sem respostas:
- Como não posso ter direito a bolsa,se já me foi concedida,confirmada e eu já enviei toda a documentação necessária?
- Como não posso ter direito a bolsa,sendo que ainda não há diploma que prove que tenho curso superior?Afinal,eu estava no início do curso,era só trancá-lo!
- Será que se eu tivesse sido omissa,e me calado diante a pergunta se tinha ou não curso superior,eu teria conseguido a bolsa e teria hoje um diploma de Turismóloga?
- Quem sabe se eu tivesse deixado a sensatez e a sinceridade no momento da entrevista,eu não já estaria formada hoje e trabalhando na área pela qual teria me formado?
- Porque eu não pude ter direito a bolsa,por estar iniciando um curso superior em faculdade particular,mesmo tendo uma renda compatível com a exigida pelo processo seletivo?
Sendo que me lembro,de um caso em 2008 ou 2009 (não tenho certeza do ano),em que a filha de empresários em Brasília estavam cursando faculdade de medicina através de bolsa do Prouni,mesmo tendo o luxo de ter carro importado,morar em mansão e ter uma vida financeira mais do que estável.
Tudo bem,houve a facilidade de amizade entre os pais e os responsáveis pela faculdade,isso sim  foi uma fraude,uma  corrupção escancarada para facilitar o acesso a essa ex-aluna,diga-se de passagem.Mas no meu caso,era simplesmente uma aluna de baixa renda tentando sua oportunidade de conseguir um bom diploma em uma faculdade reconhecida pela sua credibilidade e através disso obter a qualificação desejada para atuar profissionalmente,eu  não queria mais que isso,era simples e ao mesmo tempo tão complicado.
Dei esses exemplos simplesmente para termos a noção de que as falhas existem e vão existir sempre,seja no ENEM,seja no PROUNI,seja num concurso público  ou numa seleção de emprego...independente de qual seja o processo seletivo,as falhas irão existir sempre.
Sabemos sim dos nossos direitos,mas na maioria das vezes nos vemos obrigados a abrir mão deles devido a falta de informação e apoio por quem deveria orientar,apoiar e proteger.
É a mesma coisa da legislação ambiental,criam-se as leis,mas não preparam seus colaboradores para atuarem com ética,justiça e profissionalismo.Sem isso,infelizmente a boa intenção se torna nula e praticamente ineficaz ao seu real objetivo.
Cátia Rodrigues.