domingo, 12 de dezembro de 2010

Exemplo a ser seguido,sem dúvida!


Pavimentação emborrachada é produzida a partir de pneus triturados.

Pista fica menos escorregadia em dias de chuva e tem durabilidade maior:

O Rio de Janeiro começou a testar um novo tipo de asfalto feito de borracha de pneus velhos. E, nessa iniciativa em favor do meio ambiente, a primeira estrada a receber o pavimento liga os municípios de Guapimirim e Cachoeiras de Macacu.


Uma usina móvel foi instalada em Cachoeiras de Macacu para produzir essa pavimentação emborrachada a partir de pneus triturados. Cada metro quadrado de asfalto retira do meio ambiente um pneu usado.

Mas a vantagem ambiental não era o objetivo principal quando o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) resolveu investir na produção desse tipo de pavimento.

“A questão do reaproveitamento dos pneus veio como um agregado. Na realidade nós estávamos buscando uma qualidade melhor de pavimento com baixo custo“, contou o presidente do DER, Henrique Ribeiro.


Entre as vantagens, a pista fica menos escorregadia em dias de chuva, o barulho quando os carros passam é menor e o asfalto ecologicamente correto chega a ser 40% mais barato que o tradicional. Além disso, a durabilidade é de pelo menos o dobro do asfalto comum, segundo os engenheiros.


No primeiro teste do novo asfalto, em Cachoeiras de Macacu, 35 km de estrada serão pavimentados e a expectativa é de que tenha durabilidade de 20 anos. Em comparação, o pavimento comum teria uma vida útil de 10 anos. E até outros tipos de cobertura emborrachada durariam menos. Isso porque o produto feito na usina de Cachoeiras de Macacu tem um percentual maior de borracha.

“Permite que a gente faça massas com muito mais ásperas, que durem mais e que tenham um efeito de segurança, conforto, qualidade bem grande”, explicou o engenheiro Angelo Pinto, diretor de obras da Região Metropolitana do Rio.

Depois desse primeiro teste, todo o processo será normatizado e a ideia é que se espalhe pelo estado.




Comentando:

Na minha opinião este é sem dúvida um exemplo a ser seguido.

Que bom  se esta tentativa funcionar!

Afinal,ambos os lados sairão ganhando com esta iniciativa;
 o governo irá economizar o dinheiro público e poderá investí-lo em outros setores importantes do estado;

os cidadãos tendo mais segurança nas estradas;

e principalmente o meio ambiente,que além de esvaziar o planeta com tanto pneu jogado por aí poluindo drásticamente o planeta e sendo um ótimo esconderijo para o mosquito transmissor da dengue,terá um asfalto ecologicamente correto.

Parabéns ao Rio de Janeiro,pela excelente iniciativa a ser seguida.

Cátia Rodrigues.