sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Tecnólogo em Gestão Ambiental

O Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental (Controle Ambiental) é um curso superior de curta duração (2 anos) que tem como objetivo principal a formação de profissionais que tratem de questões relacionadas ao controle e ao gerenciamento ambiental, em busca de uma melhor qualidade das atividades produtivas desenvolvidas numa determinada região e conseqüentemente, de uma melhor qualidade de vida para estas populações. O primeiro curso no Brasil foi iniciado no CEFET-RJ, em 1998, com a duração de 3 anos. Atualmente, em todo o país, tem a duração de 2 anos.

Como principais disciplinas oferecidas nestes cursos pode-se citar, variando conforme a instituição: hidráulica, mecânica dos fluidos, hidrologia, ecologia, direito ambiental, abastecimento de água, esgotos sanitários, sedimentologia, gestão ambiental, licenciamento ambiental, recursos naturais, dentre outras.

O campo de atuação desse profissional é bem diversificado, podendo atuar em empresas públicas e privadas, em órgãos governamentais, indústrias, empresas de consultoria e prefeituras municipais e etc.

Este curso é oferecido , no Brasil, por diversas instituições privadas ou públicas.

FONTE DE PESQUISA:WIKIPÉDIA

O QUE É UM TECNÓLOGO?

No Brasil

No Brasil, um tecnólogo é um profissional de nível superior formado em um curso superior de tecnologia. Essa modalidade de graduação visa formar profissionais para atender campos específicos do mercado de trabalho. Seu formato, portanto, é mais compacto, com duração média menor que a dos cursos de graduação tradicionais. Sendo um profissional de nível superior, os tecnólogos podem dar continuidade ao seus estudos cursando a pós-graduação Stricto Sensu (Mestrado e Doutorado) e Lato Sensu (Especialização). A designação atual da profissão foi estabelecida pelo Decreto 2.208 de 17 de abril de 1.997. Entretanto, o formado em graduação superior em tecnologia é tratado no mercado como um profissional de segunda classe; inclusive não sendo aceito em concursos públicos de algumas grandes empresas (como a Petrobras e seus fornecedores, por exemplo).

Histórico

As primeiras experiências de cursos superiores de tecnologia surgiram, no âmbito do sistema federal de ensino e do setor privado e público, em São Paulo, no final dos anos 60 e início dos 70. O primeiro curso superior de tecnologia a funcionar no Brasil, em 1.969, foi o de Construção Civil, nas modalidades: Edifícios, Obras Hidráulicas e Pavimentação da FATEC em São Paulo, reconhecido pelo MEC em 1.973. Os cursos de formação de tecnólogos passaram por uma fase de crescimento durante os anos 70. Em 1.979, o MEC mudou sua política de estímulo à criação de cursos de formação de tecnólogos nas instituições públicas federais e a partir dos anos 80 esses cursos foram extintos. A partir de 1.998 os cursos superiores de tecnologia ressurgiram, com nova legislação, como uma das principais respostas do setor educacional às necessidades e demandas da sociedade brasileira.

Cursos existentes

Com o propósito de aprimorar e fortalecer os cursos superiores de tecnologia e em cumprimento ao Decreto n° 5.773/06, o Ministério da Educação elaborou o Catálogo Nacional dos Cursos Superiores de Tecnologia como um guia para referenciar estudantes, educadores, instituições ofertantes, sistemas e redes de ensino, entidades representativas de classes, empregadores e o público em geral.

Dentro do catálogo os cursos estão divididos nas seguintes áreas:

* Produção Alimentícia
* Recursos Naturais
* Produção Cultural e Design
* Gestão e Negócios
* Infra-estrutura
* Controle e Processos Industriais
* Produção Industrial
* Hospitalidade e Lazer
* Informação e Comunicação
* Ambiente, Segurança e Saúde
FONTE DE PESQUISA:WIKIPÉDIA