sábado, 27 de fevereiro de 2010

Dicas para uma boa entrevista de trabalho:

1- Objetividade é fundamental:
Responda o que lhe for perguntado e questione quando for necessário,evite detalhes desnecessários e equilibre a objetividade para não parecer supérfluo.

2- Se informe sobre a empresa:
Consulte o site da empresa, informe-se sobre o que ela faz, sua linha de negócios, produtos, atuação . vá para a entrevista conhecendo o lugar onde você quer trabalhar.

3- Seja pontual:
Falta de pontualidade denota falta de organização e preparação. Pontualidade também significa disponibilidade,chegue no mínimo 15 minutos antes do horário marcado.

4- Descrição na hora de se vestir:
Descrição garante acerto. Procure conhecer a cultura da empresa para adotar uma postura que se enquadre no perfil deles.

5- Seja sincero,afinal,mentira tem pernas curtas:
Você leva uma vida inteira para conquistar credibilidade e apenas alguns segundos para destruir sua reputação.Não corra o risco de perder uma boa oportunidade de emprego,inventando uma mentira para garantir a vaga.

6- Venda sua marca:
Mostre seu diferencial,mantenha suas atitudes,não abra mão de sua personalidade.Certamente,suas chances aumentarão.

7- Tenha ética:
Nunca fale mal das empresas por onde você passou e muito menos dos seus ex-colegas de trabalho e de seu ex-chefe.Se você fala mal dos lugares por onde passou,certamente,deixará a impressão de que fará isso em todos os lugares por onde passar,além de ser totalmente anti-ético.

8- Primeiro a vaga,depois o dinheiro:
Preocupe-se em garantir a vaga que tanto deseja,deixe o assunto sobre o valor do salário pretendido para uma outra ocasião,não faltará oportunidade.

9- Desligue o celular:
Além de ser falta de educação,é totalmente desconfortante para o entrevistado e para o entrevistador ser interrompido pelo toque do celular.Então,já sabe,desligue o celular.

10- Prepare-se e boa sorte:
Prepare-se para a entrevista,leia atentamente seu currículo, relembre pontos marcantes de sua carreira, conheça bem a si mesmo. Se você não souber responder rapidamente sobre sua experiência e sua personalidade, denotará falta de preparo para a entrevista e falta de autoconhecimento. Então, vale treinar.
Tire todas as dúvidas sobre a vaga, procure saber quais serão suas futuras responsabilidades e tarefas. Pergunte, questione, discuta, troque idéias. As empresas valorizam colaboradores participativos. Mostre-se, acima de tudo, interessado.


Fonte: http://www.triada.com.br/

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Você sabe o que é Passivo Ambiental?

"Passivo ambiental é um instrumento de gestão que representa os danos causados ao meio ambiente, a obrigação e a responsabilidade social da empresa com aspectos ambientais.


Para evitar, compensar ou minimizar seus impactos ambientais negativos, as atividades econômicas potencialmente poluidoras são atualmente objetos de legislações específicas, disciplinadores de procedimentos tecnológicos e operacionais capazes de eliminar ou reduzir poluentes.


A identificação do passivo ambiental está sendo muito utilizada em avaliações para negociações de empresas e em privatizações, pois a responsabilidade e a obrigação da restauração ambiental podem recair sobre os novos proprietários. Ele funciona como um elemento de decisão no sentido de identificar, avaliar e quantificar posições, custos e gastos ambientais potenciais que precisam ser atendidos a curto, médio e a longo prazo.


Deve ser ressaltado, porém, que o passivo ambiental não precisa estar diretamente vinculado aos balanços patrimoniais, podendo fazer parte de um relatório específico, discriminando-se as ações e esforços desenvolvidos para a eliminação ou redução de danos ambientais. Essa metodologia vem sendo seguida por empresas do mundo inteiro.


CLASSIFICAÇÃO DO PASSIVO AMBIENTAL:

O Passivo Ambiental é classificado pelos aspectos administrativos e aspectos físicos.
Nos aspectos administrativos  são estipuladas normas ambientais,procedimentos e estudos técnicos elaborados pela empresa,tendo como exemplos:


• Registros, cadastros junto às instituições governamentais


• Cumprimento de legislações


• Efetivação de Estudo e Relatório de Impacto Ambiental das atividades


• Conformidade das licenças ambientais


• Pendências de infrações, multas e penalidades


• Acordos tácitos ou escritos com vizinhanças ou comunidades


• Acordos comerciais (por exemplo: certificação ambiental)


• Pendência do PBA - Programa Básico Ambiental


• Resultados de auditorias ambientais


• Medidas de compensação, indenização ou minimização pendentes;


Já os aspectos físicos  incluem:


• Áreas de indústrias contaminadas


• Instalações desativadas (por ex.: depósitos remanescentes)


• Equipamentos obsoletos (por ex.: césio)


• Recuperação de áreas degradadas (por ex.: mineração)


• Reposição florestal não atendida


• Recomposição de canteiros de obras


• Restauração de bota-fora (por ex.: rodovias)


• Reassentamentos humanos não realizados (por ex.: usinas hidrelétricas)


• Transformadores com PCB (por ex.: óleo askarel)


• Existência de resíduos industriais (por ex.: produtos químicos)


• Embalagens de agrotóxicos e produtos perigosos


• Lodo galvânico


• Efluentes industriais (por ex: curtumes)


• Baterias, pilhas, acumuladores


• Pneus usados


• Despejos animais (por ex.: suínos e aves)


• Produtos ou insumos industriais vencidos


• Medicamentos humanos ou veterinários vencidos


• Bacias de tratamento de efluentes abandonadas


• Móveis e utensílios obsoletos (por ex.: formol)


• Contaminação do solo e da água.


Tanto os aspectos administrativos como os aspectos físicos,envolvem questões que realmente podem influenciar de forma positiva ou negativa as negociações de determinados patrimônios.

Fonte: http://www.ambientebrasil.com.br/